Vila Nova de Milfontes: descobri o pequeno paraíso do Alentejo

Já me tinham falado – várias vezes – de Vila Nova de Milfontes. Mas nunca lá tinha ido (com olhos de ver). Das poucas vezes que tinha visitado a vila alentejana tinham sido sempre visitas rápidas e no inverno. E embora a tenha considerado encantadora não percebia o deslumbramento de quem me falava dela. Até, há dois anos – ter lá ido em pleno Agosto, num fim-de-semana prolongado.

Nessa altura percebi. Vila Nova de Milfontes é um pequeno paraíso no Alentejo. Uma vila onde é possível estacionar e desfrutar de umas férias calmas. Onde é possível escolher um alojamento que fica simultaneamente longe da confusão e perto o suficiente para se ir a pé para o centro da vila, para descontrair, beber um café, fazer uma refeição, ou ir até à praia mais próxima – que tem a particularidade de, em poucos metros de distância, passar de ser uma praia de rio para uma praia de mar.

Uma típica vila alentejana onde, apesar de no Verão a população aumentar substancialmente, ainda se consegue passear sem se estar, constantemente, a esbarrar em alguém. Onde, se não quiser pegar no carro tem uma praia a poucos metros e aonde consegue chegar a pé. Ou, em alternativa, basta conduzir durante poucos quilómetros e tem acesso à maravilhosa Costa Vicentina, com praias para todos os gostos. Mais calmas para famílias ou quem prefere relaxar ou com o mar mais bravo, o paraíso dos surfistas. E o pôr-do-sol? Maravilhoso. É daquelas coisas simples que nós, nas nossas vidas quotidianas atarefadas, não costumamos dar valor. Mas deveríamos.

E é por tudo isto que Vila Nova de Milfontes é um destino que recomendo. Porque fui lá. Gostei. E tenciono regressar.

 

Partilhar

Alexandra Costa

Jornalista desde 1996 sou portuguesa de nacionalidade, alfacinha de nascimento, alentejana de coração e uma viajante do mundo. Adoro viajar, conhecer novas culturas, experimentar gastronomias. Sou viciada em livros e nunca digo que não a uma boa conversa. Basicamente sou apreciadora dos prazeres da vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.