Ode aos croquetes do Pabe

Recentemente fui desafiada para ir conhecer o restaurante Pabe, em Lisboa. Um local com uma localização central – a dois passos do Marquês de Pombal – e com uma presença na história do nosso país. Para terem uma noção muitas das grandes decisões, quer a nível económico ou político, foram tomadas à mesa (uma delas, pelo menos) do Pabe.

Mas voltemos à nossa história. A razão deste texto não é a refeição que comi e a respectiva apreciação. Isso ficará para um próximo texto. O meu objectivo é prestar homenagem aos melhores croquetes que comi até hoje. Carne super macia, a derreter-se na boca e muito bem temperada. Cozinhada apenas na gordura da própria carne, a baixa temperatura. Impossível comer apenas um croquete (a não ser que seja a entrada de uma fausta refeição e, mesmo assim…).

Aceitem esta sugestão. Passem pelo Pabe – seja no bar ou no restaurante – e peçam um croquete. Seja como entrada de uma refeição ou apenas como um snack/lanche, acompanhado de uma bebida, seja esta uma cerveja, um café, ou outra coisa qualquer. Definitivamente não se irão arrepender.

Partilhar
READ  Wines by Heart, a nova garrafeira da Avenida da Liberdade

Alexandra Costa

Jornalista desde 1996 sou portuguesa de nacionalidade, alfacinha de nascimento, alentejana de coração e uma viajante do mundo. Adoro viajar, conhecer novas culturas, experimentar gastronomias. Sou viciada em livros e nunca digo que não a uma boa conversa. Basicamente sou apreciadora dos prazeres da vida.

Alexandra Costa has 135 posts and counting. See all posts by Alexandra Costa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.