Berbigão da Ria

#Mandatory … O Gafanhoto

Conheci O Gafanhoto pelas mãos do meu amigo João. Foi há três anos (mais coisa menos coisa) e desde essa data sempre que posso volto a este restaurante. Mesmo que tenha de fazer um desvio de 100 quilómetros (que já aconteceu).

O primeiro ponto. Não é fácil dar com O Gafanhoto. Pelo menos para quem não é da zona (Gafanha da Encarnação, Ílhavo ou Aveiro). Situado num bairro residencial, perdido no meio de eucaliptais só lá vou (mesmo depois de todas as visitas) com recurso ao GPS. Mas vale a pena. E posso dizer que de todas as vezes que lá foi comer nunca sai desiludida. O que faz com que O Gafanhoto assuma, na minha lista, o carácter de #mandatory. Ou seja, um “imperdível”.

Embora conheça (mais ou menos) bem a carta e tenha experimentado diversos pratos principais (todos eles excelentes), invariavelmente a minha escolha recai nas entradas. Só de estar a escrever este texto e a relembrar já começo a salivar.

As entradas…. ai as entradas

Normalmente começo com umas cavalas marinadas, acompanhadas de umas ovas de bacalhau. Para acompanhar nada melhor do que escolher uma flute de espumante. Baga, pois claro. Depois… bem… depois sempre que for época e estiverem disponíveis, opto por umas ostras e uma dose de berbigão. Da ria. Grandes e frescos são de comer e chorar por mais. De tal forma que a tentação por pedir mais uma dose é algo frequente.

Com o estômago relativamente aconchegado chega a vez da sopa de peixe. Mas não pense que é uma daquelas sopas em que mal se vê o peixe ou que o caldo é feito com as cabeças do camarão, por exemplo. Aqui é tudo fresco e feito de forma tradicional.

READ  Portugueses são dos que mais comem fora

Se depois disto ainda tiver fome (ai, valente) ou se é daquelas pessoas que tem mesmo de comer um prato principal, que não admite ter uma refeição apenas de entradas dou duas sugestões: feijoada de samos ou o Bacalhau à Gina.

Para sobremesa (sim, que sou uma gulosa assumida e não concebo uma refeição sem um doce) nada melhor do que um cheesecake. O meu preferido é o tradicional, de frutos silvestre. Acompanhe com um copo de colheita tardia.

O que faz com que O Gafanhoto esteja na minha lista de imperdíveis? A comida, a carta de vinhos, a simpatia dos funcionários, o conhecimento que eles têm da ementa e carta de vinhos, a atenção que têm ao longo da refeição… razões mais do que suficientes para aconselhar este restaurante a todos que passem (mesmo que a uns quantos quilómetros) da Gafanha da Encarnação, em Ílhavo.

Mas atenção. Não fui a primeira a descobrir O Gafanhoto. A prova é que a casa está sempre (ou quase sempre) cheia. O que significa que se decidir ir até lá sem uma reserva pode ter de esperar. Um bom bocado.

 

O Gafanhoto
Rua da Escola, Nº 21
3830-470 Gafanha Da Encarnação, Aveiro, Portugal
234 367 673
https://tinyurl.com/y38hyyxj

Partilhar

Alexandra Costa

Jornalista desde 1996 sou portuguesa de nacionalidade, alfacinha de nascimento, alentejana de coração e uma viajante do mundo. Adoro viajar, conhecer novas culturas, experimentar gastronomias. Sou viciada em livros e nunca digo que não a uma boa conversa. Basicamente sou apreciadora dos prazeres da vida.

Alexandra Costa has 135 posts and counting. See all posts by Alexandra Costa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.