Projecto cultural Caminhos arranca dia 11 de Abril

Os 13 concelhos do Médio Tejo recebem, a partir de 11 de Abril, o projecto cultural ‘Caminhos’, que visa ligar pessoas, cultura e património. A apresentação foi feita ontem, em Tomar.

Esta iniciativa da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT), comissariada por Elisabete Paiva, Luís Ferreira e Ricardo Alves, vai estar em itinerância durante três anos. Na base do ‘Caminhos’ está a promoção do encontro de grupos culturais locais com criativos regionais e nacionais em projectos comunitários, numa lógica de convergência da arte com os monumentos e espaços culturais nos percursos delineados, e do público, com artistas nacionais e internacionais nos espectáculos. 

O projecto é complexo, a começar pelo facto de ser o primeiro em que a programação cultural é feita em rede nos 13 municípios que integram a CIMT. São eles, Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Ourém, Sardoal, Sertã, Tomar, Torres Novas, Vila de Rei e Vila Nova da Barquinha.

Orçado em algumas centenas de milhares de euros, para os três anos de duração, o projecto Caminhos vai ajudar a região a promover o turismo, potenciar novos contactos e promover os seus destinos. Quer implementar uma oferta cultural que dê ênfase à excelência do património material e imaterial existente na região do Médio Tejo. Chamar mais pessoas à região e fazê-las ficar mais do que um dia é outras das intenções desta iniciativa.

Sob o mote ‘Médio Tejo – Uma região a caminho’, a rede ‘Caminhos’ integra três roteiros de formação e animação cultural associados a elementos que unem a região internamente e fortalecem a sua ligação ao mundo. As linhas férreas, o leito dos rios e as estradas estão em destaque”.

A iniciativa começa já no próximo dia 11 de Abril através do Caminho do Ferro e dura até dia 16. O primeiro dos três roteiros de formação e programação cultural previstos no programa, associa a dança às linhas férreas que ligam estes cinco concelhos entre si e ao mundo e percorre Abrantes, Entroncamento, Mação, Tomar e Vila Nova da Barquinha com artistas, população local, espectáculos, workshops e percursos artísticos a bordo.

A região vai ser marcada pelo ritmo de mais de uma centena de artistas regionais, nacionais e internacionais em 19 espectáculos realizados nos centros históricos, praças, estações ferroviárias, centros culturais, museus, espaços comerciais e castelos.

A bailarina e coreógrafa Yola Pinto (Abrantes), a companhia Teatro do Ferro (Entroncamento), ligada às artes performativas e marionetas, e os artistas plásticos Paulo Carmona (Mação), Violant (Tomar) e Marina Palácio (Vila Nova da Barquinha) são os anfitriões de serviço.

  

A eles juntam-se, em Mação, António-Pedro da Companhia Caótica, ligada ao teatro, música, cinema, artes plásticas, e a companhia de teatro de rua Erva Daninha, em Tomar. Os cinco são os orientadores dos workshops de mediadores, marionetas, ilustração, construtores de bandas sonoras e teatro de rua, que representam o primeiro passo de um dos traços distintivos da rede, o envolvimento da comunidade local.

Na apresentação do Caminhos de Ferro, Marina Palácio, responsável pelo percurso  ‘O Espantoso caminho das Árvores-biblioteca!’, levou os jornalistas a conhecer alguns dos sítios a descobrir e a estudar artisticamente.

Além dos percursos artísticos em diversas áreas que podem ser visitados, existe ainda o projecto “Andar”, da coreógrafa Aldara Bizarro, que une 50 dançarinos locais (10 de cada concelho) e a poesia de Ana Hatherly.

Neste primeiro roteiro, vai ser possível ainda assistir a espectáculos da companhia Erva Daninha que leva o “Circo à Mostra” a Abrantes, Tomar e Vila Nova da Barquinha. Já a companhia Radar 360º dança n’“O Baile dos Candeeiros” em Vila Nova da Barquinha e Mação.

O programa também propõe sessões duplas no Entroncamento, que recebe a criatividade do artista plástico Vincent Glowinski com “Human Brush” e a peça teatral de Filipe Caldeira “O cão que corre atrás de mim (e o avô Elísio à janela). Em Mação será possível assistir ao espectáculo ‘Sopa Nuvem’, da Companhia Caótica. As propostas até domingo incluem concertos ao ar livre com o old jazz dos Xaral’s Dixie no Entroncamento, a world music dos Galandum Galundaina em Abrantes e o fado de Ricardo Ribeiro em Tomar.

A rede de itinerância cultural volta com música, de 11 a 16 de Julho com o Caminho da Água, e entre 10 e 15 de Outubro, com o Caminho da Pedra, que é explorado com o Teatro.

Partilhar

Raquel Carvalho

Lutadora e apaixonada pela vida. É assim que me caracterizo. Para mim a família é o meu pilar e ser mãe foi um sonho tornado realidade. Os meus dois príncipes são a minha razão de viver e o meu orgulho. Adoro a minha profissão, pois escrever e fazer perguntas sempre esteve no meu ADN. Escolhi ser jornalista com seis anos de idade e consegui.

Raquel Carvalho has 169 posts and counting. See all posts by Raquel Carvalho

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.