Pastelaria Néné inaugura primeira esplanada da Baixa com novo mobiliário urbano

Desde Janeiro de 2017 e até final de 2018, todos os cafés e restaurantes da Baixa Pombalina e do Centro Histórico de Lisboa, que quiserem manter as suas esplanadas, vão ter que as actualizar, exibindo um novo mobiliário urbano permitido. A Pastelaria Néné foi a primeira a fazê-lo, tanto com o layout de inverno, como com o layout de verão.

A inauguração foi ontem e contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, o Vice-Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Duarte  Cordeiro, o Presidente da AHRESP, Mário Pereira Gonçalves, a arquitecta da AHRESP, Marta Freitas e o Presidente da Junta de Freguesia de Santa Maria Maior, Miguel Coelho.

A ideia é “tornar a Baixa mais atraente, mais elegante e mais sofisticada”, disse Miguel Coelho. O responsável afirmou que o objectivo “é torná-la mais bonita ao olhar. A Baixa é candidata a património da humanidade e este projecto vai ajudar a candidatura a ser mais consistente e convincente”, esclareceu o presidente da Junta de Freguesia de Santa Maria Maior.

      

O projecto nasceu em 2016. A Junta lançou um concurso de ideias a vários gabinetes de design e arquitectura para desenharem um tipo de mobiliário de esplanada que fosse representativo da zona. A proposta vencedora é da autoria do Designer Pedro Sottomayor, em colaboração com o gabinete de arquitectura Canran e o gabinete de design gráfico Whitestudio, e foi seleccionada por um júri especialista em áreas como o design, arquitectura, branding e história.

Bordeau, branco, preto, azul e verde são algumas das cores que as esplanadas podem escolher. Tudo o resto é igual, nomeadamente, o padrão superior das mesas, que remete à tradicional calçada portuguesa.

Além das mesas e das cadeiras uniformes, as esplanadas têm igualmente que adaptar o mesmo género de chapéus para tapar do sol e separadores de acrílico que, entre Outubro e Março vão proteger os turistas da chuva.

Ciente da importância da requalificação profunda das esplanadas da Baixa e do centro histórico de Lisboa, o gerente da Pastelaria Néné, Pedro Marques aderiu de imediato e afirmou que “este é o início de um processo que visa melhorar significativamente a fruição do espaço público 365 dias por ano pelos lisboetas e por quem visita a cidade. Estou muito satisfeito com o resultado final e penso que será uma grande mais-valia para a Rua Augusta e a Lisboa do século XXI”.

Pedro Marques garante que a zona estava esquecida pela autarquia e que esta presidência veio dar novo fôlego e mostra “real preocupação”. Garantiu estar confiante de que este é um novo passo para termos uma nova Baixa. Para tal, é preciso que todos os cafés e restaurantes queiram aderir. “A Junta e a Câmara fizeram-nos o desafio e se quisermos aderir, temos que pedir licenciamento e investir. Ninguém é obrigado a ter uma esplanada, mas para ter é preciso aderir ao novo imobiliário”, disse, frisando que a Pastelaria investiu 55 mil euros pela renovação.

Até agora, e de acordo com Célia Mota, Chefe de Divisão de Gestão Territorial da Junta de Freguesia de Santa Maria Maior, já foram pedidos mais 15 novos licenciamentos. Das 15 pastelarias que já aderiram, três são na Rua Augusta, duas no Rossio, e outras tantas na Rua da Assunção, na Rua de São Nicolau, entre outras.

 

Partilhar

Raquel Carvalho

Lutadora e apaixonada pela vida. É assim que me caracterizo. Para mim a família é o meu pilar e ser mãe foi um sonho tornado realidade. Os meus dois príncipes são a minha razão de viver e o meu orgulho. Adoro a minha profissão, pois escrever e fazer perguntas sempre esteve no meu ADN. Escolhi ser jornalista com seis anos de idade e consegui.

Raquel Carvalho has 169 posts and counting. See all posts by Raquel Carvalho

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.